Presidência da República

Presidente da República repudia desinformação

Presidente da República repudia desinformação

Meluluca (Niassa), 29 de Julho de 2018 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi,apelou à população de Niassa para redobrar a vigilância e denunciar pessoas de ma fé com agendas alheias ao desenvolvimento e bem-estar da província e do país.

Falando no comício que orientou hoje, no posto administrativo de Meluluca, distrito do Lago, inserido na Visita Presidencial  a Niassa, o Chefe do Estado destacou que em Mocímboa da Praia foram encontrados alguns jovens oriundos de Niassa, que se juntaram aos malfeitores que semeam luto e destruição de bens de populações indefesas.

“Há jovens que estão a morrer que se juntaram a uma causa que nem conhecem. Foram capturados alguns que saíram de Niassa, incluindo mulheres. É muito mau serem enganados por gente que diz que vai dar emprego, e quando se chega no tal sítio já não há emprego, obrigando-os a se juntar a eles”, disse o estadista.

Segundo o Presidente da República, esta situação é obra de gente que vive bem e que promove a debates demagogos, que tiram conclusões duvidosas sobre as causas daquela situação.

“Alguns até tem boa formação ao ponto de promoverem debates a desinformarem a população. Eles dizem que em Palma as pessoas estão revoltosas porque são pobres. Alguns desses malfeitores até são estrangeiros. Porque é que não fazem essa confusão nos seus países. Será que a pobreza só esta em Palma e nos seus países não há? E também porque Palma, hoje? Só porque se descobriu gás?”, questionou.

O Chefe do Estado garantiu que as Forcas de Defesa e Segurança (FDS) estão a procura dos organizadores dessas acções. “Quando apanharmos vamos dizer quem são”.

Na mesma ocasião, o Presidente Nyusi pediu vigilância contra os que também enganam a população para pilharem a riqueza faunística e florestal da província de Niassa.
O Presidente Nyusi alertou ainda sobre a promoção de boas práticas nos ritos de iniciação e combate aos casamentos prematuros, afirmando que os ritos, tem uma grande importância social, mas que devem ocorrer sem prejuízo do calendário escolar.