Imprensa

Presidente da República diz que Estrada Montepuez-Ruaça vai estímular a economia da região norte do país

14/12/2021 11:14
Presidente da República diz que Estrada Montepuez-Ruaça vai estímular a economia da região norte do país

A ESTRADA Montepuez/Ruaça, ligando Cabo Delgado e Niassa, vai gerar um impacto positivo na economia, não só das duas províncias, como também de toda a região norte do país.

Segundo o Presidente da República, a estrada confere o sentido real ao projecto de operacionalização do corredor rodoviário Pemba/Lichinga. Falando momentos após inaugurar a infra-estrutura, com uma extensão de 135 quilómetros, o Chefe do Estado disse que a mesma vai promover o desenvolvimento económico, unidade nacional e facilitar a circulação de pessoas porque, como disse, para se chegar a Pemba, a partir de Lichinga, as pessoas não vão precisar passar por Nampula.

A estrada vai dar outra dinâmica às regiões por ela atravessada, estabelecer bases para desenvolvimento, permitir a inserção das famílias, empresas agrícolas no circuito de comercialização, através das trocas comerciais, mobilidade, acesso aos serviços básicos de saúde, educação e assistência técnica, no contexto de extensão agrícola.

Afirmou que, doravante, os utentes da via, em especial os automobilistas, deixam de levar três dias para fazer ligação Niassa/Cabo Delgado porque a nova estrada vai concorrer para reduzir este tempo para duas horas apenas.

“Estamos perante uma infra-estrutura de qualidade invejável que vai contribuir para melhoria de negócios e proporcionar condições para atracção de investimentos produtivos.

Antes, as pessoas pensavam duas vezes para vir investir aqui, mas desde que iniciamos esta obra, estão a vir. Vi uma bomba de combustível que antes não havia, é desenvolvimento isso”, disse Nyusi.

Pediu aos operadores económicos e a população para capitalizar as oportunidades que vão surgir com a conclusão da obra.

Segundo explicou, as estradas fazem parte do programa de desenvolvimento, no quadro das infra-estruturas que compõem os sectores produtivos, tendo como foco a redução das assimetrias distritais, aproximação das zonas de produção aos centros de consumo, obedecendo igualmente a lógica de conectividade interna e da região austral de África.

Avaliada em 2,8 mil milhões de meticais, financiados pelo Governo, Agência Japonesa para Cooperação Internacional (JICA) e pelo Banco Africano de Desenvolvimento, as obras iniciaram em Fevereiro de 2018 e consistiram na asfaltagem de 135 quilómetros, construção de duas pontes, uma sobre rio Ruaça e outra sobre o rio Nacohucohu.(Notícias)