Imprensa

PR agrava medidas de combate à covid-19 no âmbito do Estado de Calamidade Pública

PR agrava medidas de combate à covid-19 no âmbito do Estado de Calamidade Pública

O Presidente da República, Flipe Nyusi, decidiu agravar algumas medidas de combate à covid-19 relacionadas com o decreto actualmente em vigor, no âmbito do estado de Calamidade Pública.

A partir do próximo sábado, o recolher obrigatório passa a ser das 21 às 4 horas, enquanto ficam suspensas por um período de 30 dias as aulas presenciais nas instituições de ensino primário, secundário, técnico profissional, formação de professores, formação profissional e ensino superior na cidade de Maputo, Xai-Xai, cidade de Inhambane, Beira, Chimoio, Tete, Dondo e também na área metropolitana do Grande Maputo, incluindo a vila da Manhiça.

Anunciou a suspensão do ensino pré-escolar em todo o país e o encerramento de cultos, celebrações religiosas, conferências e reuniões por 30 dias, em todo o território nacional.

Os eventos sociais ficam interditos, com excepção de casamentos civis e religiosos, restringindo-se ao máximo de 20 pessoas no acto de assinatura, estando as respectivas celebrações festivas interditas.

Na comunicação à nação proferida na noite desta quinta-feira, o estadista moçambicano anunciou, entre outras medidas, o novo horário para o sector público.

“É introduzido o horário excepcional para o funcionamento das instituições públicas que é das 8 horas as 14, exceptuando as instituições de ensino e outras, cuja natureza da sua actividade profissional não se adequam, como é o caso dos serviços essenciais, em prossecução do interesse público. É reduzido o horário de funcionamento de todos os botle stores, independentemente da sua localização passam a adoptar o horário das 9 as 13horas, permanecendo encerrados aos domingos, feriados e nos dias de tolerância de ponto. É reduzido o horário de funcionamento dos serviços de restauração, take aways e serviços de entrega ao domicílio, passando a abrir as 6 horas e a encerrar as 8 horas, quando anteriormente encerravam às 20 horas”, disse.

Ainda na sua comunicação á nação, Filipe Nyusi, anunciou que Moçambique vai adquirir mais de onze milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que poderão chegar entre o presente mês de Julho e Agosto próximo ao país. (RM)