Imprensa

Governo antevê perdas no sub-sector de açúcar devido a greve na Açucareira de Xinavane

25/02/2022 08:00
Governo antevê perdas no sub-sector de açúcar devido a greve na Açucareira de Xinavane

O governo antevê perdas com impacto em todo o sub-sector do de açúcar na sequência da greve dos trabalhadores da Tongaat hulett, a detentora da açucareira de Xinavane, na Manhiça, província de Maputo.

O ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, diz que as partes devem rapidamente trabalhar na busca de consensos, dentro dos princípios de razoabilidade e cedências mútuas.

Celso Correia aponta a calma durante as negociações como factor fundamental para pôr termo ao diferendo.

O Ministro apela a massa laboral para que privilegie o diálogo por meio dos sindicatos e que que não enveredem por caminhos de destruição.

“Há várias reclamações sobre a forma como direcção antiga da empresa trabalhava com a comunidade e esta, mas tudo isto resolve-se dentro de plataforma de diálogo. Estamos a acompanhar esse diálogo permanente. É só ver o que perdemos em termos de hectares, mas preferimos deixar o ciclo fechar e naturalmente, em tempo útil, iremos comunicar o que é que isso significou na altura do balanço para a produção do açúcar, mas há açúcar em Moçambique, em Sofala, Maputo-província, são outros distritos. Portanto, se perdemos de um lado, teremos que ser capazes de compensar noutro, mas não queremos perder “ , disse.

O ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia falava, esta quinta-feira na Açucareira da Maragra, na Manhiça, local que acolheu a Reunião Nacional sub-sector do açúcar. (RM)