Imprensa

PR reafirma determinação do governo em combater o SIDA até a sua erradicação

PR reafirma determinação do governo em combater o SIDA até a sua erradicação

O Presidente da República, Filipe Nyusi, reafirmou, esta segunda-feira em Kigali, no Ruanda, a determinação do governo moçambicano em combater o SIDA e a proliferação de infecções sexualmente transmissíveis, ate á sua erradicação.

O Estadista Moçambicano falava em Kigali na sessão de abertura da Vigésima Conferência Internacional sobre o SIDA e Infecções de Transmissão Sexual em África. (ICASA 2019)

Filipe Nyusi destacou que a África Subsahariana, onde se inclui Moçambique, registou, nos últimos anos, progressos em termos no  número de pacientes em tratamento anti-retroviral e de redução  de novas infecções por HIV:

"Para Moçambique, estes indicadores são o resultado de esforços que envolvem o governo e a sociedade em geral, no combate a novas infecções, no tratamento anti-retroviral e na prevenção da transmissão de mãe para filho, entre outras medidas. Apesar de insignificante, são ainda fruto de muito sacrifício de decisões pela austeridade que a nossa economia impõe neste momento particularmente difícil que o nosso país enfrenta," disse.

O Chefe de Estado Moçambicano disse ainda que o país está alinhado com a agenda global dos objectivos de desenvolvimento sustentável no que diz respeito á necessidade de controlo rápido e sustentável da pandemia do SIDA:

"Com resultado destes esforços, cerca de um milhão e trezentos mil moçambicanos estão em tratamento anti-retroviral. Com estas medidas, em 2018 registamos menos de 24% de mortes relacionadas com a SIDA, em comparação com o início de 2015 quando começamos o nosso ciclo de governação. O programa de prevenção de transmissão de mãe para filho está disponível em todas as unidades sanitárias. Todas as mulheres grávidas atendidas na consulta pré-natal, conhecem o seu estado em relação ao HIV e passam a beneficiar deste tratamento assim que mostre necessário. Em 2018 lançamos também a campanha livre, para através do Gabinete de Esposa da Presidente da República, uma iniciativa continental das Primeiras-Damas com o apoio da União Africana e parceiros. O seu objectivo é galvanizar esforços de apoiar a compreensão individual e colectiva das acções para impulsionar a provisão e o uso efectivo de serviços de saúde e de outros, para acabar com o SIDA na infância até 2020" frisou.

O Presidente da República acrescentou que apesar destes esforços e progressos assinalados, cerca de um milhão de moçambicanos ainda não têm acesso ao tratamento anti-retroviral e há o registo de mortes devido a doença.

Outros desafios citados por Filipe Nyusi, têm a ver com a retenção de doentes com o vírus nos cuidados e de tratamento, as barreiras culturas que aumentam a vulnerabilidade da população, o estigma e a discriminação.

Ainda hoje, O Presidente da República interveio na Reunião de Alto Nível das Lideranças Africanas Sobre o Investimento na Área da Saúde. (RM Kigali)