Imprensa

Governo pretende reduzir as taxas de mortalidade materna e neonatal até 2023

Governo pretende reduzir as taxas de mortalidade materna e neonatal até 2023

O governo de moçambique desdobra-se em acções para reduzir em mais de 50 por cento as taxas de mortalidade materna e neonatal no país, até 2023.

O pronunciamento foi feito pela ministra da saúde, Nazira Abdula, no lançamento da campanha nacional de aceleração dos progressos na saúde da mulher e criança.

Actualmente o rácio de mortalidade materna situa-se nos 408 por 100 mil nados vivos, prevendo-se que até 2023 passe para 272 mortes maternas por 100 mil nados vivos.

Por sua vez a taxa de mortalidade neonatal situa-se nos 30 por mil nados vivos e preve-se que até 2023 passe para 19 por mil nados vivos.

A Primeira-Dama da Republica, Isaura Nyusi, que procedeu ao lançamento da campanha esta quarta-feira, em Maputo, disse que um dos objectivos do governo é fortalecer as intervenções multisectoriais visando acelerar os progressos na melhoria da saúde da mulher e do recém nascido.

O embaixador dos Estados Unidos da America, Dean Pittman, disse que o seu governo congratula-se com os esforços demonstrados pelas autoridades de saúde moçambicanas e parceiros na luta para a redução das taxas de mortalidade materna e neonatal.

Os Estados Unidos da America são um parceiro estrategico do governo na área da saúde. (RM)