Imprensa

Deslizamento do lixo em Hulene custou ao governo cem milhões de meticais

Deslizamento do lixo em Hulene custou ao governo cem milhões de meticais

O deslizamento de resíduos sólidos na lixeira de Hulene, na cidade de Maputo, custou ao governo, até ao momento, cem milhões de meticais.

Parte do valor serviu para a vedação do recinto da lixeira e acomodação  das famílias atingidas pelo incidente.

A informação foi dada a conhecer esta quarta-feira, em Maputo, no lançamento da primeira pedra das obras do projecto para melhorar a segurança e encerramento da lixeira de Hulene.

O projecto está orçado em noventa e dois milhões de meticais, e será tutelado pelo Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural.

 A Directora Nacional do Ambiente, Ivete Mabasso, referiu que a iniciativa insere-se na Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Resíduos Urbanos.

Prevê-se que o projecto seja concluído em Junho do próximo ano.

 Paulo Queirões, da empresa japonesa que vai executar as obras, explicou que serão usadas técnicas simples e de baixo custo para a encerrar a lixeira.

O presidente do Conselho Municipal da cidade de Maputo, Eneas Comiche, disse que o projecto hoje lançado vai permitir a buscar de ideias para se avançar com o encerramento de toda área da lixeira. (RM)