Imprensa

Desastres naturais: Secretário-Geral recomenda concretizacao dos apoios prometidos a Mocambique

Desastres naturais: Secretário-Geral recomenda concretizacao dos apoios prometidos a Mocambique

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, recomenda a concretização rápida do apoio prometido, sobretudo durante a conferência dos doadores, realizada em Maio último, na cidade da Beira, capital da província de Sofala, centro de Moçambique.

Guterres disse que Moçambique ainda precisa, urgentemente, de mais ajuda da comunidade internacional para se recompor dos estragos provocados pelos ciclones Idai e Kenneth, que devastaram recentemente as regiões centro e norte do país.

"É preciso não apenas apoiar, mas apoiar a tempo", disse Guterres, em declarações à imprensa, após o encontro que manteve hoje, em Maputo, com o Presidente da República, Filipe Nyusi, no primeiro dos dois dias de visita a Moçambique.

Na conferência dos doadores, a comunidade internacional prometeu doar 1.2 milhões de dólares, e o governo esperava angariar 3.2 milhões de dólares, necessários para a reconstrução.

Sobre o processo de paz em Moçambique, Guterres disse que as Nações Unidas estão empenhadas em apoiar o diálogo entre o governo e a Renamo, o maior partido da oposição no país.

O secretário-geral revelou que a nomeação de Mirko Manzoni como seu enviado pessoal para mediar o diálogo foi consensual entre o governo e a Renamo.

"A pessoa mais indicada para continuar a facilitar esse diálogo era o embaixador Mirko Manzoni e, naturalmente e imediatamente, pus-me à disposição do senhor presidente e de Moçambique. Nomeei o embaixador Mirko Manzoni como o meu enviado pessoal", explicou.

Manzoni ainda não iniciou as novas funções de representante do secretário-geral das Nações Unidas, que acontecerá depois de deixar o cargo de embaixador da Suíça em Moçambique.

Desde 2015, Manzoni assume as funções de embaixador da Suíça em Moçambique e, desde 2017, preside o Grupo de Contacto Internacional de mediadores no diálogo entre o Governo e a Renamo, que visa o alcance da paz no país.

Guterres disse que Manzoni já determinou passos cruciais para uma paz no país. "Sem paz é sempre difícil o desenvolvimento", sublinhou.

Guterres manifestou total disponibilidade das Nações Unidas, através da Unidade de Contra-terrorismo e Prevenção dos Extermínio Violento, para colaborar com as Forças de Defesa e Segurança de Moçambique no combate a radicalização, sobretudo dos ataques que se registam na província de Cabo Delgado, norte do país.

"Moçambique pode contar com o total apoio das Nações Unidas", sumarizou.
(AIM)